Manual de Boas Práticas em adesão e retenção de usuários em serviços ambulatorial para PVHA


Por se tratar de uma unidade de referência normativa, que avalia e coordena o Programa Estadual para Prevenção, Controle, Diagnóstico e Tratamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e da AIDS no Estado de São Paulo, o Centro de Referência e Treinamento – DST/AIDS- SP (CRT-DST/AIDS) tem por característica sempre promover a troca de conhecimentos com outras instituições, a fim de apoiar e desenvolver pesquisas e projetos.

 

+ SAIBA MAIS SOBRE O CRT– DST/AIDS-SP

 

Neste âmbito, surgiu uma parceria entre o CRT-DST/AIDS-SP, Centro de Estudos Augusto Leopoldo Ayrosa Galvão do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Ciência Médicas da Santa Casa de São Paulo (CEALAG), Unicamp e Janssen, divisão farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, com o intuito de promover um novo projeto denominado de “Projeto de Apoio Institucional ao CRT DST/Aids-SP para Organização da Gestão e do Trabalho em Saúde: Gestão Participativa, Clínica Ampliada e Equipes de Referência”. À medida que eram propostas intervenções para o aperfeiçoamento dos processos assistenciais e para a atuação multiprofissional, surgiu o “Manual de Boas Práticas”.

 

Lançado em 19 de maio de 2018 no IV Fórum de Adesão Antirretroviral que ocorreu no Hotel Renaissance em São Paulo, o “Manual de Boas Práticas em adesão e retenção de usuários em serviços ambulatorial para PVHA” tem como objetivo principal desenvolver o debate de alguns aspectos relativos à assistência ambulatorial dos usuários, além de propiciar a efetivação de estratégias voltadas para o cuidado integral e a qualidade de vida das pessoas vivendo com HIV e AIDS.

Desenvolvido de modo participativo e baseado em conhecimento reais do próprio CRT, o manual surge como uma importante ferramenta para o alcance da meta 90-90-90, segundo o Prof. Dr. Manoel Ribeiro Sampaio do CEALAG em entrevista concedida para a Secretaria Estadual de Saúde: “Este projeto caminha ao encontro da meta 90-90-90, do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/aids, que prevê que até 2020, 90% das pessoas vivendo com HIV saberão que estão infectadas; destas, 90% receberão TARV ininterruptamente e, destas, 90% terão carga viral suprimida”.

 

O Manual de Boas Práticas aborda temas importantes voltados para a realização de mudanças no processo de Gestão e nos processos de trabalho no CRT, como:

  • Monitorar sistematicamente as ausências dos usuários;
  • Compor equipes de referência;
  • Desenvolver práticas de acolhimento: resolutividade, cuidado, humanizado e escuta;
  • Abordar os preconceitos e sentimentos que atravessam a relação profissional – usuário;
  • Facilitar a comunicação, flexibilidade de horário e a possibilidade de trocar profissionais de referência;
  • Fortalecer a relação com a rede de atenção à saúde e com a rede intersetorial (saúde, assistência social e transporte), pensando na integralidade;
  • Favorecer a construção conjunta da autonomia da equipe e dos usuários; trabalhar com campo e núcleo de saberes em busca a ampliação da clínica;
  • Estruturar equipes para acolhimento;
  • Apoio de gestão.

Para conhecer mais sobre o “Manual de Boas Práticas em adesão e retenção de usuários em serviços ambulatorial para PVHA” acesse o E-book clicando aqui.

 

 

Para conhecer mais sobre as publicações do CEALAG acesse: www.cealag.org.br/portal/publicacoes/

Cadastre-se e receba nossas novidades