Setembro Amarelo: Prevenção ao Suicídio e Valorização da Vida


Desde 2014 comemora-se no Brasil o Setembro Amarelo, um mês inteiro dedicado à prevenção ao suicídio e valorização da vida. Esta iniciativa surgiu após uma parceria entre o Centro de Valorização da Vida (CVV), o Conselho Federal de Medicina e da Associação Brasileira de Psiquiatria. Além do Setembro Amarelo, é importante lembrar que no dia 10, do mesmo mês, comemora-se o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.

Considerado um problema de saúde pública pela a Organização Mundial de Saúde (OMS), os números de casos de suicídios no país e no mundo são alarmantes. Segundo dados divulgados em 2016 pela OMS, anualmente 800 mil pessoas cometem suicídio no planeta, tornando-se a segunda maior causa de mortes entre jovens de 15 a 29 anos.

No Brasil, estima-se que a cada 100 mil habitantes, 6 se matam todo ano. De acordo com a OMS o Brasil é o oitavo país com maior índice de suicídios do mundo, com 11.821 entre 2010 e 2012, e o 4° país com maior crescimento de casos na América Latina, com um aumento de 10,4% na ultima década. Outro dado preocupante é que para cada pessoa que se mata, pelo menos outras 20 tenham tentado o suicídio, mas não conseguiram.

Segundo estudos, as pessoas que pensam em cometer suicídio apresentam quatro sinais característicos denominados de 4D: Depressão, Desamparo, Desesperança e Desespero. Estes sinais podem ser expressados por meio de falas, atitudes ou mudanças bruscas de comportamento. É importante ressaltar que, em sua maioria, o ato suicida não implica em um desejo de acabar com a vida, mas sim, na dor que não se pode suportar.

Desde 1962, existe no Brasil o Centro de Valorização da Vida ou CVV, uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida com de Utilidade Pública Federal, que presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato. Atualmente, o CVV está localizado em 19 estados e DF do país e conta com aproximadamente 2.400 voluntários, que realizam mais de 2 milhões de atendimentos ao ano.

O contato com o CVV pode ser feito pelo telefone 188 (24 horas e sem custo de ligação),  pessoalmente (nos 93 postos de atendimento) ou pelo site www.cvv.org.br.

Caso conheça alguém que apresente os sinais característicos de um suicida, não o ignore, é de extrema importância que você converse e o ouça sem julgar, sempre o orientando a pedir ajuda profissional.

Cadastre-se e receba nossas novidades