Dia Nacional da Doação de Órgãos


No dia 27 de setembro comemora-se no Brasil o Dia Nacional da Doação de Órgãos. Instituída no país desde 2014, a data tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância de ser doador de órgãos.

A fim de incentivar esta iniciativa, anualmente, a Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) desenvolve uma série de ações informativas e eventos sociais em todas as capitais do país, denominado de “Campanha Nacional de Doação de Órgãos”. Dentro desta proposta, a ABTO também realiza o chamado “Brasil Verde”, que se baseia em uma serie de eventos que reforçam o debate sobre a importância da doação de órgãos.

Em um levantamento feito pelo portal Governo do Brasil em conjunto com a ABTO, os números de doações de órgãos cresceram de maneira significativa, mostrando que o país vive seu melhor momento dos últimos 20 anos. Só em 2017 ocorreram 27 mil transplantes, dois mil a mais do que no ano anterior.

Segundo o balanço trimestral divulgado pela Associação, até 2017 foram sete trimestres seguidos de crescimento em relação à taxa de doadores efetivos (aqueles que tiveram órgãos transplantados em outras pessoas), algo que não acontecia desde 2009. Com isso, o Brasil alcançou no último trimestre do ano passado, uma taxa de 16,6 doadores efetivos por milhão de pessoas.

Porém, apesar da evolução, os números de pacientes esperando doações são grandes. No fim do ano passado, mais de 32,4 mil pacientes adultos estavam na fila de espera, além de outras mil crianças.

Para a doação, o doador deve ter sofrido morte cefálica, pois somente assim há garantia de que seus principais órgãos vitais permanecerão aptos para serem transplantados para outra pessoa. Porém, segundo a legislação brasileira, a retirada dos órgãos e tecidos só pode ser realizada após a autorização dos membros da família.

É importante ressaltar que pessoas vivas também podem ser doadoras órgãos, porém, apenas aqueles que são considerados duplos, ou seja, que não irão prejudicar as aptidões vitais do doador. Sendo assim, torna-se possível realizar a doação dos seguintes órgãos e tecidos: rim; pâncreas (parcialmente); medula óssea (se compatível, feita por meio de aspiração óssea ou coleta de sangue); fígado (apenas parte dele, em torno de 70%); pulmão (apenas parte dele, em situações excepcionais).

Sempre é importante destacar que para ser um doador, basta conversar com sua família sobre o seu desejo de ser doador e deixar claro que eles, seus familiares, devem autorizar a doação de órgãos.

Cadastre-se e receba nossas novidades