Outubro Rosa


Começou o Outubro Rosa, um mês inteiro dedicado ao alerta e conscientização das mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. Iniciado em 1990, o movimento é celebrado anualmente em todo o mundo, promovendo e conscientizando sobre a doença, proporcionando assim, um maior acesso aos serviços de diagnósticos e de tratamento da doença.

No Brasil, o cenário de câncer de mama é assustador. A doença é a segunda maior causa de incidência na população feminina brasileira, sendo responsável por cerca de 30% dos casos ao ano. Só em 2017 foram mais de 21 mil mulheres diagnosticadas com a doença no país. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Gomes da Silva (Inca), a estimativa é que 59 mil novos casos sejam diagnosticados em 2018.

De acordo com pesquisas realizadas em 2017, o número de mamografias realizadas entre mulheres com idades de 50 a 69 anos foi a menor dos últimos cinco anos. Dos 11,5 milhões de exames esperados, foram realizados apenas 2,7 milhões, tendo uma cobertura de 24,1%, bem abaixo dos 70% recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia, o grande problema está na dificuldade de acesso das mulheres para conseguir atendimento desde o rastreamento para o diagnóstico até o tratamento. Problema esse, que é intensificado para quem necessita do Sistema Único de Saúde (SUS).

Sendo relativamente raro antes dos 35 anos, o número de incidência aumenta gradualmente a partir dos 50 anos. A partir desta idade é recomendável a realização de uma mamografia de rastreamento a cada dois anos. Outro grande aliado no combate ao câncer de mama é o autoexame e deve ser realizado por mulheres de todas as idades.

Sempre é importante destacar que quando diagnosticado precocemente a chance de cura é de 95%. Previna-se.

Cadastre-se e receba nossas novidades